Webcenter

RPO e RTO – A recuperação de desastres

Início » Blog » RPO e RTO – A recuperação de desastres
RPO e RTO – A recuperação de desastres
Segurança

A RPO e RTO vem como uma solução para a recuperação de desastres, evitando uma série de problemas para as empresas e é essencial nos dias de hoje.

Mas, pode ser que você ainda não conheça ou não saiba exatamente o que essas siglas significam.

Pensando nisso, prepara-se para responder a todas as perguntas sobre o tema e se tornar um aliado da sua empresa, preparado para o futuro e acompanhando o presente.

Boa leitura!

O que é RPO e RTO

RPO e RTO – A recuperação de desastresA princípio, se você está começando agora no mundo digital, quer se tornar um especialista para a sua empresa ou está um pouco perdido com as siglas, vamos desacelerar um pouco.

Dessa forma, RPO significa Recovery Point Objetive e se refere ao tempo que as operações precisam para se reestabelecerem após a parada.

RTO significa Recovery Time Objective e se refere ao limite de tolerância para a perda de dados em casos de desastres.

Neste cenário, os dois conceitos são essenciais para entender como um sistema funciona bem como o que acontece internamente.

A ideia é garantir que os negócios tenham uma recuperação efetiva das informações, algo que pode acontecer em várias situações.

Como por exemplo:

  • Invasões;
  • Falhas nos equipamentos;
  • Falhas nos sistemas;
  • Desastres naturais, como inundações;
  • Intercorrências técnicas e muitas outras.

Na prática, sempre que ficar com dúvidas, considere que o RPO é o quanto um sistema pode perder de informações em caso de uma parada e o RTO o tempo que, depois de uma parada, as operações demoram para voltar ao normal.

Por exemplo, imagine uma queda de força, quando uma determinada operação estava sendo realizada.

Então, existem informações que serão perdidas e um tempo para que esses sistemas voltem a funcionar normalmente.

A recuperação de desastres – Porque você deveria investir?

RPO e RTO – A recuperação de desastresDiante de todas as questões que existem no mercado das empresas, sempre surgem novos produtos e serviços que prometem mudar a rotina de trabalho.

Entretanto, é comum pensar em coisas diárias, como uma ferramenta que crie promoções ou faça marketing.

Já quando pensamos em situações mais ocasionais, sempre surge aquela ideia de que isso nunca vai acontecer.

Porém, a realidade é que pode acontecer a qualquer momento, estando você preparado ou não para aquilo.

Mesmo com todo o avanço tecnológico disponível nos dias de hoje, existem ocorrências que não estão totalmente sob o controle humano.

Logo, um sistema pode falhar, um equipamento pode quebrar e a natureza pode mudar em poucos segundos.

Diante disso, o ideal é que você sempre considere que as coisas podem acontecer e se pergunte: “estou preparado para isso?”.

Um exemplo disso foi em 2015, quando o Brasil inteiro teve problema em decorrência da infraestrutura da energia elétrica.

O resultado foram quedas e mais quedas, que até sobrecarregaram alguns sistemas.

Se a sua empresa não tiver um RPO e RTO significa um risco para todas as informações e, consequentemente, para o financeiro da sua empresa.

Daí a importância de também contar com um bom sistema de arquivos para guardar e compartilhar dados, planos e números.

O impacto do RPO e RTO para o seu negócio

RPO e RTO – A recuperação de desastresSendo duas soluções distintas, o RPO tem como premissa básica o ciclo de backups.

Já o RTO é um pouco mais abrangente e define um limite para que todo o gerenciamento do seu negócio seja planejado.

Com isso, você ganha mais segurança e produtividade.

Então, enquanto o primeiro faz um planejamento em casos irreversíveis para minimizar os seus problemas, o segundo garante o menor prejuízo possível em casos deparadas e aumenta a capacidade de resposta rápida.

Através disso, você também consegue fazer com que a sua empresa realize planos mais amplos e assertivos, trabalha na segurança interna e tem dados mais concretos.

Enfim, a recuperação de desastres traz a chance de pensar nas necessidades exatas da sua empresa.

Logo, você será capaz de definir o que é essencial para prevenir e impedir ameaças, ataques e panes de sistemas.

Vale destacar que os dados de um negócio são essenciais para o desenvolvimento contínuo, crescimento e para evitar problemas.

Portanto, a segurança das informações bem como a recuperação devem ser uma prioridade interna.

Disaster Recovery – A solução para a recuperação de desastres

De acordo com os números, mais de 50% das empresas fecham as portas após algum desastre que envolve a perda de dados.

Sendo assim, não basta conhecer os riscos, o RPO e RTO, é preciso possuir medidas que façam o seu negócio não entrar para esta estatística.

Assim, o Disaster Recovery tem como objetivo manter a disponibilidade dos sistemas críticos da sua operação em casos de desastres ou emergências.

Para isso, faz uso de dois métodos complementares que trabalham de maneira unificada baseado no Cloud Computing.

Mesmo que pareça absurdo, é importante considerar o “e se acontecer…” e estar pronto para essas situações.

Seja um ataque, desastre ambiental ou outras questões.

Inclusive, pensando em tecnologia, sempre existe a chance de um vírus invadir a rede ou de alguém cometer um erro e inutilizar todo o servidor.

Logo, é preciso considerar como você pode evitar e se preparar para essas condições, garantindo que o seu negócio tenha mais poder para agir e resolver o problema.

Sendo assim, o Disaster Recovery traz a possibilidade de alta proteção e recuperação de dados para a sua empresa de forma veloz.

Isso funciona com dois métodos complementares:

Método A Quente:

Que faz com que todos os dados sejam replicados para um servidor que fica hospedado em um site secundário.

Dessa forma, um plano de contingência.

Como fica separado do site primário, é possível executar o site secundário logo após o problema.

A replicação de dados acontece em períodos de 30 segundos a 15 minutos e permite o armazenamento de até 24 pontos de restauração.

Método A Frio:

Ideal quanto acontece o comprometimento de dados da aplicação, sendo uma abordagem tradicional de parar o sistema, restaurar o que foi afetado e recuperação dados ou transações perdidas.

Em outras palavras, o Disaster Recovery traz dupla segurança, abordagem completa de recuperação, proteção e muito mais.

Se você ainda ficou na dúvida, não deixe de conferir os demais posts aqui da página e assina a nossa newsletter para acompanhar todos os posts diretamente no seu e-mail.

Artigos Relacionados

Quais são os tipos de backups mais comuns?

Vinicius

Descubra 4 dicas de como evitar erro humano na tecnologia

Vinicius

FILE System – O que é o sistema de arquivos

Vinicius

Deixe um comentário