Computação em nuvem: fique por dentro das maiores tendências para 2018

Computação em nuvem: fique por dentro das maiores tendências para 2018

A computação em nuvem (do inglês “cloud computing”) é essencial para desenvolver o trabalho da sua empresa, com segurança, em um ambiente redundante e com alta disponibilidade na Internet. Com ela, você pode acessar, em tempo real, diferentes serviços e informações através de qualquer dispositivo que esteja conectado à rede.

Dessa forma, é importante que você fique por dentro das principais tendências em cloud computing para 2018, a fim de atualizar a sua organização. Por isso, neste post, vamos explicar as cinco principais novidades da computação em nuvem. Boa leitura!

IoT (Internet das Coisas)

A IoT (Internet das Coisas) conecta os objetos à Internet para torná-los inteligentes. Isso vem auxiliando o trabalho das indústrias e aumentando a sua produção. Por exemplo, a Michelin trouxe, para o pneu, um sensor que permite saber o seu estado de conservação. O consumidor é orientado sobre isso e aconselhado a procurar a empresa para realizar as devidas manutenções.

A computação em nuvem é importante para que os dados desses novos softwares possam ser salvos e acessados em qualquer lugar para possíveis alterações.

Cloud Computing SaaS, Paas e IaaS

SaaS (Software as a Service), PaaS (Platform as a Service) e IaaS (Infrastucture as a Service) são ótimos serviços em computação em nuvem que poderão trazer flexibilidade e escalabilidade para a sua empresa

Já imaginou poder comprar um software para usar via Internet (SaaS)? Sim, isso é possível! Uma das grandes novidades do cloud computing é que você pode comprar, por exemplo, aplicativos baseados em nuvem pela Internet, como ERP e CRM.

Além da praticidade, isso contribui para a redução de despesas corporativas, já que você pode obter os serviços de acordo com a sua necessidade e por um baixo custo.

No caso do PaaS é disponibilizada uma plataforma para desenvolvimento e gerenciamento do seus aplicativos na nuvem, sem que você precise se preocupar com a configuração de infraestrutura necessária para que esta plataforma esteja em funcionamento. A configuração do SO e das aplicações essenciais, como servidor web, servidor de base de dados, etc, já estão prontas para apenas receber e rodar o seu aplicativo.

Já no caso do IaaS, o seu provedor de cloud irá disponibilizar serviços voltados para infraestrutura como: backup, redes e VMs (máquinas vrituais). Algo que vale a pena ser mencionado é a flexibilidade oferecida neste serviço, em relação ao armazenamento e à velocidade e configuração de servidores. No IaaS você será o responsável por cuidar de toda a configuração necessária para o uso, como instalação de servidores de aplicação, certificados, SOs, firewalls, etc.

Algo que vale a pena ser mencionado é a elasticidade oferecida em todos esses tipos de serviços, seja em armazenamento, velocidade e especificação dos recursos computacionais.

DRaaS (Disaster Recovery as a Service)

O DRaaS trabalha com a proteção contra desastres. Esse serviço utiliza a computação em nuvem para a replicação do servidor físico da sua empresa. Em caso de roubo ou de desastre natural, a empresa contratada oferecerá failover (transferência em caso de falha) para realizar a recuperação e colocar os seus serviços online com maior rapidez e segurança.

Um dos aspectos principais neste tipo de serviço, é o tempo de recuperação dos dados, que será otimizado, minimizando prejuízos para a sua organização.

Há dois focos principais para serem analisados quando for contratar este tipo de serviço: a quantidade de dados que é tolerável se perder e o tempo para recuperar esses dados, mantendo a disponibilidade dos serviços (RPO e RTO respectivamente).

Segurança digital

Por fim, não é possível falar em computação em nuvem e não comentar sobre a segurança digital.

cloud computing entrega muito mais segurança do que os servidores físicos, pois conta com redundâncias em diversas camadas de infraestrutura. Por exemplo, o processamento e a memória são executados por servidores que, se falharem, são automaticamente substituídos por outros que já estão em operação. O mesmo ocorre para a conectividade de rede e o armazenamento de dados que possuem espelhamento online.

Além disso, toda a infraestrutura é criada em datacenters que utilizam desde controle de acesso físico aos servidores, como também é administrada por profissionais especializados na área e que mantém alto padrão de gerenciamento dos serviços.

Você pode adquirir a computação em nuvem por meio de uma empresa terceirizada. Procure trabalhar com empresas que forneçam nuvem privada, para garantir que seus dados estejam em um pool controlado de clientes, o que trará maior proteção e segurança para os dados da sua companhia.

Você leu, neste post, as principais tendências de computação em nuvem para 2018. É aconselhável que a sua empresa não fique de fora e contrate o serviço de cloud computing agora mesmo!

E aí? Gostou do nosso post? Então compartilhe nosso conteúdo com os seus amigos nas suas redes sociais!

Deixe uma Resposta

%d blogueiros gostam disto: