O que é ransomware e como combatê-lo?

O que é ransomware e como combatê-lo?

Atividade cibercriminosa que sequestra as informações de uma determinada rede para então solicitar um pedido de pagamento de resgate. Se você ainda não sabia o que é ransomware, está aí a sua melhor definição.

Cada vez mais comum e generalizado, esse tipo de ameaça não tem preferência por tamanho ou segmento de negócio. Todas as organizações podem ter seus dados sequestrados se não tiverem o devido cuidado.

Pensando nisso, preparamos este artigo para mostrar quais são os principais riscos do ransomware e o que deve ser feito para combatê-lo. Continue a leitura e confira!

Quais são os perigos do ransomware?

De forma clara e objetiva, os perigos do ransomware se resumem ao fato de que esse malware (software malicioso) age codificando os dados do sistema corporativo de uma organização. Pessoas físicas (computadores pessoais) também podem ser afetadas.

Essa codificação é baseada em algoritmos de criptografia bastante eficazes, que bloqueiam todo o acesso do aparelho, seja ele um computador, tablet ou smartphone. Isso impossibilitará o uso desses dispositivos.

No caso das empresas, o problema é ainda maior quando o sistema afetado é o servidor em que estão armazenadas as informações corporativas. Nesse caso, nenhum usuário conseguirá acessá-las, e, na maioria da vezes, a continuidade das atividades organizacionais será impossibilitada.

O que fazer para se prevenir?

Agora que você já sabe o que é ransomware e que seu risco principal consiste no bloqueio dos seus sistemas, mostraremos como se proteger.

Utilizar antivírus potentes

O primeiro passo não poderia ser outro a não ser a utilização de um bom antivírus. Kaspersky Lab e Tend Micro são reconhecidos por fornecerem uma excelente proteção para essa finalidade.

Lembrando de que, além dos notebooks e desktops, os antivírus também devem ser instalados nos dispositivos móveis: tablets e smartphones são cada vez mais propensos aos ataques.

Ter uma política de backups

Tão importantes quanto os antivírus são os backups. O recomendado é adotar uma política que aumente a segurança dos seus dados independentemente da ameaça. Nesse sentido, o “backup 3-2-1” é uma ótima escolha.

Resumidamente, esse método é fundamentado na manutenção de no mínimo três cópias, aplicado da seguinte maneira:

  • duas cópias armazenadas em dois dispositivos com storages distintos (mídias removíveis e discos internos);
  • uma cópia externa (as soluções de armazenamento em nuvem são muito indicadas).​

Estabelecer um controle de acesso aos dados

É preciso deixar claro aos colaboradores o que não pode ser feito na rede corporativa. Entenda que quando um determinado posto de trabalho é infectado, toda a empresa pode ser afetada.

Por essa razão, crie permissões administrativas e políticas de proteção que visem evitar o acesso aos sites impróprios e o download de arquivos, por exemplo. Além disso, não se esqueça de manter o sistema operacional sempre atualizado.

Para concluir, é interessante que você saiba que o pedido de pagamento de resgate é geralmente solicitado em bitcoins, uma moeda virtual de difícil rastreio. Essa é a tática utilizada pelos hackers para se esconder ainda mais.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre o que é ransomware. Se sim, veja 5 dicas de segurança digital para colocar em prática agora mesmo!

Deixe uma Resposta

%d blogueiros gostam disto: